DestaqueDicasProdutosQualidade de VidaSaudeVocê Conhece

Você já ouviu falar do Tupinambor?

Postado em23 de agosto de 2014 | Por: | Categorias: Destaque,Dicas,Produtos,Qualidade de Vida,Saude,Você Conhece | 0 Comentário

tupinamboHelianthus tuberosus , conhecida popularmente como tupinambô, tupinambor ou girassol batateiro.

É uma espécie do gênero botânico Heliantus, da Família Asteraceae.
É uma planta nativa da América do norte e cultivada por seu tubérculo comestível e para ornamentação, pois se assemelha ao girassol.
Diferentes da maioria dos tubérculos, porém em comum com os outros membros da família (incluindo a alcachofra ), os tubérculos armazenam, em vez de amido, a inulina, um carboidrato que, por meio da cocção, se decompõe em moléculas de frutose. Por esta razão é uma fonte importante de frutose para a indústria.
Os tupinambôs foram cultivados pelos povos ameríndios muito antes da chegada dos europeus. Um explorador francês encontrou esta planta na costa nordeste dos Estados Unidos em 1605.
Apesar de ser originária a América do Norte, o nome tupinambô é provenientes dos Tupinambás, povos indígenas que viviam no Brasil. Alguns indivíduos desses povos foram levados a Paris em 1613 na mesma época em que se difundiu o cultivo desta planta na França e logo ao resto da Europa, o que fez que os europeus associassem os indígenas brasileiros à planta de origem norte-americana.
A primeira muda de tupinambor chegou em Santa Catarina pelas mãos de uma freirinha que deixou muita saudade, Irmã Eva Michalak que faleceu aos 94 anos. Seu profundo conhecimento foi a inspiração dos pesquisadores de Santa Catarina.

O tupinambor é considerado um alimento terapêutico porque é rico em inulina, um tipo de açúcar que não é digerido no estômago. “O mecanismo de ação do tupinambor é via intestino. Assim, ele consegue controlar problemas de diabetes, colesterol, obesidade e, principalmente, a constipação intestinal”. Essa substância favorece o movimento

tupinambo2

peristáltico no aparelho digestivo e ajuda na procriação das bactérias benéficas ao organismo e na regulação intestinal.

O Tupinambor é rico em vitaminas e minerais, principalmente ferro, fósforo, potássio, niacina e tiamina. Seria muito semelhante à batata se o amido não fosse substituído pela inulina. Consumido cru ele quase não tem sabor, mas fica adocicado quando é cozido, com sabor semelhante ao da alcachofra. Além do pão e bolachas da farinha, pode ser servido assado e na forma de purê, sendo adicionado normalmente a sopas e cremes, podendo também fazer parte do café da manhã com um iogurte, granola ou suco.

 

Fonte: http://quintadasplantas.blogspot.com.br/2014/05/tupinambor.html