DestaqueDicasQualidade de VidaSaudeVocê Conhece

Conheca o poder da farinha de uva

Postado em17 de julho de 2014 | Por: | Categorias: Destaque,Dicas,Qualidade de Vida,Saude,Você Conhece | 0 Comentário

uva

Farinha de uva

Em farinha ou cápsulas, a frutinha tem tudo para fazer seu coração bater, literalmente, mais forte. Dá um chega pra lá no colesterol, cuida dos vasos sanguíneos e afugenta inflamações. Garanta suas colheradas!

Você está cansada de ouvir que frutas devem ocupar posição privilegiada em uma dieta do bem, ainda mais para perder peso, regular o intestino e, é claro, manter a saúde tinindo. O problema é quando você torce o nariz para o sabor delas. Há, também, quem reclame da falta de praticidade para levá-las ao trabalho ou seja onde for. Ficar sem suas vitaminas e minerais não dá e ponto final. E é por essa razão que a indústria alimentícia trabalha pesado para facilitar a vida de todos. Desta vez, a invenção foi a farinha de uva, que traz em um só pote todos os benefícios da fruta in natura, de maneira concentrada e ao alcance de uma colher. Por isso, colega, não se deixe enganar: esta pequena gigante oferece muito mais do que pode parecer. Se ainda não agradou, tem até a versão encapsulada.

Farinha de uva para manter o coração bombado

A maior sacada dos produtos à base de uva, especialmente das cápsulas, é o fato de estarem recheadas de flavonoides, como as antocianidinas e antocianinas, que são peças chaves na prevenção contra doenças do coração. Apesar do nome complicadinho, o trabalho destas substâncias no organismo é até simples: “Com o envelhecimento, ocorre naturalmente uma espécie de inflamação nos vasos e artérias sanguíneos. Esses flavonoides atuam contra as inflamações, além de melhorarem a circulação no sangue”, explica Marcella Garcez Duarte, médica e nutróloga da Associação Brasileira de Nutrologia (Abran).

 

Farinha de uva no combate aos radicais livrescap-uva

Estudos realizados ao redor do mundo têm buscado comprovar outros possíveis poderes destes famosos compostos da uva. Sabe-se, por enquanto, que ajudam a brecar os níveis de colesterol e desempenham papel anticancerígeno e antioxidante. Isso significa que os tão temidos radicais livres também estão na mira da farinha de uva, rica em substâncias capazes de neutralizar a ação destes carrascos da saúde. Acredita-se, por exemplo, que o consumo regular de derivados da frutinha seja capaz até mesmo de safar você de problemas nas articulações e nos olhos, mas as pesquisas ainda estão caminhando. Agora, é torcer para que os resultados sejam positivos.
A farinha é constituída das frutas inteiras processadas, e a cápsula é à base do extrato seco obtido da semente da fruta. Devido ao processamento da uva no preparo da farinha, os teores de muitas substâncias bioativas são reduzidos e por outro lado alguns são concentrados. A vitamina C por exemplo, é eliminada totalmente na farinha. A frutose e a sacarose (acúcares) também são reduzidas, o que é benéfico para os diabéticos. Já os sais minerais e fibras têm a concentração aumentada em relação ao fruto fresco, por serem mais resistentes ao processo. As cápsulas, por sua vez. apresentam concentrações bem elevadas de princípios ativos, como flavonoides e taninos, ambos antioxidantes e anti-inflamatórios. No entanto, açúcares, fibras, sais minerais e a maior parte das vitaminas se encontram em porções reduzidas.

 

A farinha de uva em benefício do seu intestino

Se as cápsulas de uva vencem a disputa no que diz respeito à concentração de flavonoides, a farinha extraída do fruto fica à frente em outro quesito de peso: é fonte das boas de fibras solúveis. Por isso, o consumo regular bota o intestino em velocidade alta, já que estimula a formação e movimentação do bolo fecal. E traz ainda outra vantagem: Estas fibras também colaboram na redução do colesterol, já que têm o poder de aumentar a utilização do LDL (mau colesterol) circulante no sangue, favorecendo, assim, sua redução.

 

farinha-de-uva

Como é fabricada a farinha de uva?

Para não levar gato por lebre, não custa nada entender o processo de produção das farinhas de uva. Veja só!

Uvas inteiras (incluindo casca, polpa e sementes), como as do tipo Isabel, são desidratadas e neste processo, toda a água do fruto é retirada. A fruta passa pela trituração e o que resulta é peneirado, até que se transforme em um pó bem fininho, 0 produto final passa por um processo semelhante ao da esterilização, que garante o prazo de validade por dois a três anos. Conservantes e aditivos químicos costumam não dar as caras.

 

A farinha de uva na guerra contra a balança.

Por ser tão poderosa em fibras, a farinha de uva, ainda por cima, colabora na luta contra a balança, já que diminui o apetite exagerado: Quando consumida cerca de 30 minutos antes das grandes refeições (ou seja, almoço e jantar), cria a sensação de saciedade, pois forma um gel no estômago, dilatando-o e ‘enganando-o. Graças a este efeito, as fibras também diminuem a velocidade da absorção de glicose, logo, bandeira branca para as diabéticas. Assim como qualquer farinha de frutas que seja boa fonte de fibras, a de uva reduz a absorção de açúcar e, inserida em uma dieta equilibrada, ajuda a controlar o perfil glicêmico da portadora do diabetes.

 

Fonte: http://corpoacorpo.net/saude/conheca-o-poder-da-farinha-de-uva